Métodos Para Medir Desvios do Equilíbrio
 de Hardy-Weinberg Através de Medidas
de Endocruzamento

Cibele Queiroz da-SILVA[1]

Talita ARMBORST[2]

§       RESUMO: Uma das principais medidas de discrepância do Equilíbrio de Hardy-Weinberg (EHW)  é a medida de endocruzamento, f. Ela mede o déficit de heterozigosidade na população. Neste trabalho, três métodos para estimar f foram utilizados: o Bayesiano de Ayres e Balding (AB)(1998), e os clássicos de Nei e Chesser(NC)(1983) e de Robertson e Hill(RH)(1984). Analisou-se dados simulados através de freqüências genotípicas considerando-se tamanhos amostrais de 50, 200 e 1.000 observações e 2, 6 e 15 alelos, sendo n=50 o caso mais realístico. A comparação dos métodos foi feita a partir da construção de intervalos de credibilidade (via MCMC) e de confiança, sendo o último encontrado pelo método Bootstrap. Os resultados mostraram que o método de Ayres e Balding (1998) é, de fato, eficiente no que diz respeito à produção de estimativas de f que respeitem os limites teóricos do parâmetro. Além disso, o método de AB tem a vantagem de permitir que estimativas das freqüências alélicas sejam calculadas. Porém, além de demandar cálculos muito mais complexos do que os demais, o método de Ayres e Balding (1998) pode produzir  valores estimados de f com vícios apreciáveis, sendo de magnitude muito superior  àqueles produzidos pelos demais métodos.

§       PALAVRAS CHAVE: Genética; medida de endocruzamento; MCMC; inferência clássica e Bayesiana.



[1] Departmento de Estatística, Instituto de Ciências Exatas, Universidade de Brasília – UnB, CEP 70910-900, Brasília, Brasil, E-mail: cibeleqs@unb.br

[2] Inep/MEC - Esplanada dos Ministérios, Bloco L - Anexos II, sala 422 - CEP:70047-900 - Brasília - DF, Brasil, E-mail: tarmborst@yahoo.com.br