Análise dos candidatos e do vestibular 2006-2,
do curso de Agronomia da UFLA, usando um modelo
 de Teoria de Resposta ao Item (TRI)

Maria de Lourdes Lima BRAGION[1]

Júlio Sílvio de Sousa BUENO FILHO1

§     Resumo: Um modelo de Teoria de Resposta ao Item (TRI) foi ajustado aos dados do Vestibular 2006-2, do curso de Agronomia, da Universidade Federal de Lavras (UFLA). O principal objetivo é apresentar uma ferramenta que pode contribuir para análise da qualidade das questões. Adotou-se o modelo logístico de dois parâmetros. O ajuste foi feito via inferência bayesiana usando o algoritmo Metropolis-Hastings. As habilidades individuais apresentaram alta correlação com as notas observadas. As questões mais difíceis, em média, foram de Matemática, seguidas de Física, Química, Biologia, História e Português. Geografia e Filosofia apresentaram um baixo nível de dificuldade. Quanto ao poder de discriminação, as questões de Biologia apresentaram o melhor resultado, com ótima discriminação. Boa discriminação foram obtidas pelas questões de Química, Física e Matemática. As demais não trouxeram uma contribuição relevante. O modelo proposto de TRI mostrou-se útil para discutir a qualidade do vestibular para o curso de Agronomia da UFLA.

§     PALAVRAS-CHAVE: Inferência Bayesiana; teoria de resposta ao item.



[1] Departamento de Ciências Exatas, Universidade Federal de Lavras – UFLA, Caixa Postal 3037, CEP: 37200‑000, Lavras, MG, Brasil. E-mail: lourdinha.bragion@gmail.com / jssbueno@ufla.br