DETERMINAÇÃO DO TEMPO ÓTIMO DE DRESSAGEM UTILIZANDO SÉRIES TEMPORAIS NO CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSOS (CEP)

Alessandra Querino da SILVA [1]

Marcelo Silva de OLIVEIRA[2]

Thelma SÁFADI2

§     Resumo: Visando uma melhoria no desempenho de processos industriais, empresas manufatureiras utilizam o Controle Estatístico de Processos (CEP) para controlar a variabilidade do processo. Assim, é possível intervir nas causas especiais que estão atuando, melhorando continuamente a qualidade do produto. Na fabricação de hastes de amortecedores, a rugosidade é uma característica importante da qualidade, a qual é determinada por especificações de engenharia. O equipamento utilizado para atender a estas especificações é denominado retífica “centreless”. No decorrer do processo, esta retífica sofre um desajuste, exigindo uma intervenção do operador denominada dressagem.  Para proceder ao ajuste das retíficas, o operador deve determinar o período de tempo que deve comandar as intervenções, para que não haja nem mais intervenções do que o número necessário nem menos. Neste trabalho, foi analisado o comportamento de dados relativos ao sistema de produção da empresa TECNO, com o objetivo de determinar o tempo ótimo de dressagem de tais retíficas. Como os dados são correlacionados no tempo, utilizou-se a metodologia de séries temporais.  O tempo ótimo de dressagem foi de aproximadamente 73 minutos. Isso gera uma significativa redução do desperdício de tempo, dos esforços do operador e solução de uma pendência nas auditorias de normas da gestão da qualidade.

§     PALAVRAS-CHAVE: Controle estatístico de processo; gestão da qualidade; séries temporais.

 



[1] Instituto de Agricultura e Ambiente – IAA, Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Rua 29 de agosto, 786 CEP: 69800-000, Humaitá, AM, Brasil. E‑mail: alessandraquerino@yahoo.com.br

[2] Departamento de Ciências Exatas, Universidade Federal de Lavras - UFLA, Caixa Postal 37, CEP: 37200-000, Lavras, MG, Brasil. E‑mail: marcelo.oliveira@ufla.br / safadi@ufla.br