USO DE UM MODELO BAYESIANO DE POISSON COM
EXCESSO DE ZEROS NA ANÁLISEDE DADOS DE LESÕES MIOCÁRDICAS EM RECÉM-NASCIDOS COM CARDIOPATIAS CONGÊNITASCOMPLEXAS

Suleimy Cristina MAZIN [1]

Marcela Silva de OLIVEIRA[2]

Edson Zangiacomi MARTINEZ[3]

Jorge Alberto ACHCAR3

Simone Gusmão RAMOS2

§     Resumo: Dados de contagens com muitos zeros são comuns em estudos da área médica. Neste artigo, apresentamos um modelo de Poisson com excesso de zeros voltado à análise dos dados de um estudo conduzido no Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto -USP, onde há um grande número de zeros. Trata-se de um estudo sobre lesões miocárdicas em recém-nascidos com cardiopatias congênitas complexas submetidos a cirurgia. Com esta finalidade, apresentamos uma adaptação do modelo bayesiano baseado na distribuição de Poisson com excesso de zeros apresentado por Angers e Biswas (2003). Dado que o delineamento do estudo médico previa que um total de dez observações de contagem fossem obtidas a cada indivíduo, o que diferencia o modelo bayesiano aqui apresentado daquele proposto por Angers e Biswas (2003) é a inclusão de múltiplas observações por indivíduo e a presença de efeitos aleatórios que identificam uma dependência entre as observações de cada recém-nascido. O modelo proposto mostrou-se satisfatório, permitindo evidenciar, por exemplo, que recém-nascidos com cardiopatias congênitas não operados tendem a apresentar um número maior de eventos de edema intracelular. Para as estimativas dos parâmetros de interesse, utilizamos métodos Bayesianos baseados em algoritmo Monte Carlo em Cadeia de Markov (MCMC), com o auxílio do programa computacional Winbugs.

§     PALAVRAS-CHAVE: Modelo de Poisson; excesso de zeros; métodos bayesianos; estatística médica.

 



[1] Centro de Métodos Quantitativos (CEMEQ), Departamento de Medicina Social, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, CEP: 14049-900, Ribeirão Preto, SP, Brasil. E-mail: sumazin@pop.com.br

[2] Departamento de Patologia, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, CEP: 14049-900, Ribeirão Preto, SP, Brasil. E-mail: marcelaoliveira9@hotmail.com / sgramos@fmrp.usp.br

[3] Departamento de Medicina Social, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, CEP: 14049-900, Ribeirão Preto, SP, Brasil. E-mail: edson@fmrp.usp.br / achcar@fmrp.usp.br